CAPÍTULOS DO LIVRO

Os Egípcios

  • Posted on: 16 October 2018
  • By: claudio

Como eram os partos nas civilizações antigas?

Para os egípcios, a parturição era uma arte sagrada. As parteiras eram instruídas nas escolas dos templos e chamadas mães divinas.

Isis, mulher de Osíris, era a Deusa dos Partos, e aquelas que desejassem proteção levavam oferendas ao seu templo.

Inicialmente, havia salas de parto nos templos, que evoluíram para templos especiais no período ptolomaico, "Mammisi" ou casa de parto.

Nesses lugares, a mulher se ajoelhava ou sentava para parir num compostos de três pedras que formavam um assento "a pedra de vir ao mundo".  Esta pedra existia já há três mil anos a.C.

Nos baixos relevos dos templos, decifraram-se o hieróglifo de Parir. No templo Hermonthis (atualmente Erment), consagrado ao deus Menthou, hoje destruído, existia o relevo "Cleópatra dando à luz a Cesarion", fruto dos seus amores com Júlio César. A rainha é representada ajoelhada, com as nádegas nos calcanhares. Uma mulher sustenta-a pelo braço e duas outras de cada lado, prontas a intervir. A parteira principal, também de joelhos em frente a Cleópatra, recebe Cesarion e passa o recém-nato à mulher que está atrás dela.

                  Hieróglifo de Parir                       

Em outros baixos-relevos, dos templos de Deir El Bahari, e de Luxor, a rainha está sentada numa cadeira e a "mãe divina" ajoelhada, passando o recém-nato às assistentes.

Após o parto, os antigos egípcios tinham o hábito de dar purgativos. Administravam óleo de rícino com cerveja.  O óleo de rícino é galactogogo.