CAPÍTULOS DO LIVRO

Introdução

  • Posted on: 25 September 2018
  • By: admin

Desde 1973, viemos trabalhando no diagnóstico e tratamento do câncer de mama.

Nosso objetivo, como o da comunidade científica, afora isolar um agente etiológico específico, era o de diagnosticas o mais precocemente possível, com vistas ao melhor resultado no tratamento instituído.

Trabalhamos com códigos de alto risco para as mulheres com maior chance de desenvolver a doença.

Esses parâmetros, retirados da literatura médica, consistem em história obstétrica, amamentação, história menstrual, relação peso-altura, raça, história de câncer de família, grau de parentesco, tipo de câncer, ingestão de medicamentos, situação emocional, tratamentos anteriores em relação à mama e sintomas específicos.

A primeira conclusão a que chegamos é que não há diferença significativa entre a população rural e urbana na incidência do processo.

Existe um fator de risco evidente nas pessoas em que a linhagem materna é ou era portadora da doença, sendo o risco maior quanto mais membros fossem atingidos.

Como controle da população em que trabalhamos, fizemos um levantamento da população das reservas de indígenas do sul do Brasil (ver Levantamento Realizado nas Reservas Indígenas do Sul do Brasil - Kaigang, Guarani e Xokleng), que tem uma história obstétrica, amamentação e, consequentemente, história menstrual completamente diversa do outro grupo.

Associem-se os fatores culturais e teremos um "Código de Baixo Risco para o Câncer de Mama".