Influência das Posições Posturais

INFLUÊNCIA DAS POSIÇÕES POSTURAIS COMO CAUSA DE ALTERAÇÕES NA DINÂMICA CIRCULATÓRIA DA GESTANTE

Dr.Moysés Paciornik

Dr. Silvio Kormann

Dr. Cláudio Paciornik

São Paulo, 1976. 

1.  Demonstrar a inconveniência da posição supina, no retorno venoso da unidade útero-conceptual, e a vantagem da modificação da posição clássica em todos os períodos do trabalho de parta.

2.  O risco mensurável da anestesia peridural na posição deitada independente da queda tensional arterial possível.

3.  As variações de pressão venosa central diretamente tensões dependentes às a esforços conscientes executados como manobras necessárias às medições.

4.  Após trabalho de parto a observância de a pressão venosa central em V. Cava inferior na posição supina, ser maior que P.V.C em CI de uma gestante à termo nas posições ortostática e de cócoras.

5.  A diminuição da P.V.C. (aumento de retorno venoso ao AD), com a retirada do Feto, não chegando aos níveis basais isso acontecendo somente após a retirada da placenta.

6.  A diferença entra a P.V.C. da paciente, a às da literatura, nos leva a concluir por uma patologia circulatória, no caso I.C. Em paciente não grávida, a medição e registro diretamente da aorta torácica e abdominal, nas três posições, mostrou-se sem alteração observando-se o mesmo em gestantes à termo com esfigmo tensiômetro.

 

TÉCNICA E TÁTICA UTILIZADA

Os autores utilizam manômetros de mola helicoidal Modelo da "Concert", para pressão arterial é "Pressurveil" da mesma marca para pressão venosa.

Um cateter "lntravenous" é posicionado pela artéria femural D, região inguinal D, através de função com "lntracart", e levado à artéria Aorta em altura Abdominal.

Outro cateter "lntravenous" de 70 cm de extensão e introduzido pela veia safena, com previa dissecção e ligadura distal sesta veia.

Uma cerclagem proximal fixa este cateter que é movimentado gradativamente, para se obter as pressões, nas várias alturas desejadas.

O segmento de conexão dos cateteres com o manômetro tem incluído dispositivo intermediário que faz a transferência da parte líquida dos cateteres com soro heparinizado, por membrana elástica sensível para meio gasoso.

Por cateter introduzido por veia em antebraço, ou com punção de veia subclávia realizam e preconizam as medições venosas em átrio direito, sendo esta a P.V.C.

É importante que o manômetro esteja sempre em altura dos átrios ou região axilar.

 

TÉCNICA - CATETER PELA VEIA FEMORAL EM CAVA INFERIOR

PV.

 

 

 

POSIÇÃO

ÁTRIO DIREITO

 

V. C. I

DEITADA

 

 

 

Contração

Uterina

20 mm Hg

23

Tosse

Esforço

30 mm Hg

Estabiliza 28 mm Hg

SENTADA

 

 

 

Oscila com Esforço

29 mm Hg

Estabiliza em 14 mm Hg

 

16 mm Hg

Oscila com Estímulo

CÓCORAS

 

 

 

Com esforço

20 mm Hg

Por causa do esforço

 

18 mm Hg

EM PÉ

 

 

 

 

8 mm Hg

 

18 mm Hg

 

ENCAMINHADA À CESARIANA

ANESTESIA PERIDURAL

Deitada com as pernas elevadas 15 segundos após

28 mm Hg

Pernas na Horizontal

35 mm Hg

Início da Cirurgia

29 mm Hg

Hora do Nascimento

29 mm Hg

Retirado Concepto

30 mm Hg

Retirada Placenta

27 mm Hg

Útero Fechado

23 mm Hg

Fechamento da Pele

20 mm Hg

COMENTÁRIO

Sob anestesia peridural a variação da pressão arterial obtida através do esfigmo tensiômetro sofreu mínimas alterações, enquanto simultaneamente a pressão venosa central medida na veia cava inferior alterava-se em torno de 50%.

Isso demonstra que a alteração circulatória primária acontece no retorno venoso, com a diminuição do volume circulante para o coração, acarretando uma resposta adrenérgica que mantém a pressão arterial através da vasoconstrição renal e uterina, com a consequente hipóxia para o sistema útero-concepto.

A pressão no átrio direito deitada é maior que em pé. Ao sentar-se, a pressão no átrio direito aumenta, devido ao esforço executado em 40%.

Na posição de cócoras (que demanda esforço para o paciente), o nível tensional no átrio direito permanece o mesmo que na posição deitada (repouso), indicando a comodidade circulatória da posição de cócoras em relação à posição supina.