Depoimento de 1979, na Reserva dos Índios Guarani, Chapecó - Com Jaci, esposa do cacique Paramirim

  • Posted on: 25 September 2018
  • By: admin
Português, Brasil

– Jaci: Então eu tô fazendo comida aqui, tou socando. Então nossa comida mesmo é o que tô socando. E mais nada de tempero. E tem que penerar no pano, assim socá bem e temperá, fazê farinha, mingau, sopa. Sem sar ainda, sem temperá. Banha não precisa, nem sar. E nóis, guarani, legítimo mesmo não comia nem sar,  nem nada, nenhum tempero. E agora nóis compreendemo de compra banha e temperá comida, ponhá sar na comida, né?  De primeiro, guarani, legítimo, não comia nem sar. E carne também. Carne de galinha, ovo. Nem fósforo a gente não usava. Nóis temo o fogo, né? O fogo mesmo nóis tem, não é? Hoje entendemo que tem compra fósforo, faze fogo. É.

– Cláudio: E antes fazia fogo como?

– Jaci: De guajuvira, de coqueiro também.

– Cláudio: A alimentação da mulher grávida como é que era?

– Jaci: Não come nem banha nem sar, não come.

– Cláudio: Como é que a mulher guarani normalmente faz para nascer o nenê? O sistema de vocês é como?

– Jaci: Prá nosso sistema é muito bom, muito melhor. Claro, nóis sabemo como é, nóis vamo criá, nóis criemo já. Senhor vê a piazada aqui se criando cada vez mais.  Se a muié tá na cama só pra ganha nenê, tem que ser muié.

– Cláudio: Como é? Deitada ou de cócoras?

– Jaci: É de croque, porque nosso sistema é assim. É deitá quando tá doendo, né? Deitá um pouqinho e levantá e ficá de croque. É. É sim.

– Cláudio: Dá de mamar quanto tempo, bastante?

– Jaci: Tem que dá de mamá até que fica grandinho, dá comidinha, assim, polentinha, sopinha. É, nóis tratamo assim.

– Cláudio: Sempre dá bastante?

– Jaci: Dá bastante.

– Cláudio: Quando fica grávida desmama ou continua mamando?

– Jaci: É, desmama. Daí quando fica grávida desmama e dá comidinha sim pra sustentá

– Cláudio: Fica grávida a cada dois anos?

– Jaci: Fica grávida... Argumas vai até treis ano.

– Cláudio: Quantos filhos tem o guarani, em média?

–Jaci: Cinco/seis filhos.

– Cláudio: Quando tem o parto de croque, aí espera vir à companheira para cortar o cordão ou não?

– Jaci: É. Daí tem que segurá, o marido, outra muié. Daí tem que ter treis muié, aí tem que segurá o companheiro (a placenta), né? Daí quando ganhá tem que cortá imbigo, né? Nóis fazemo assim. É nosso sistema. Mais bom, né.

Pra nasce bem criança nóis sabemo remédio assim do mato, quem deve faze é outra muié. A avó da criança tem que faze remédio pra tomá, pra crianças nasce bem, não sentir dor. Pra não fica fraca demais quando nasce à criança tem que cortá imbigo com taquarinha, pra ficá bem são o nenê. É.

E quando tem dez famílias é bastante. Tem argum que morre, mas assim com gripe, febre quando fica mais grande, quando tivé um ano e meio, dois anos e meio. Assim quando bate doença, morre.

Tem argum que vem logo, sabe? Tem que faze remédio pra desce. Tem argum que demora, daí tem que ficá de croque. Daí quando nasce o nenê, tem que faze um saco de cinza pra desce leite pro pequeno mamá, daí já mama aquele pequenininho, já desce leite pra baixo. E nem tomá água fria, fria memo.

Daí nóis costuma assim quando tem nenê pequeno, nóis não come nem comida salgada nem doce, nem café. Nem pisá com o pé no chão. tem que se cuidá muito. Pode caminhá, mas não saí fora, nem atravessá o rio, nem pisá na água fria. Tem que caminhá assim dentro de casa.

Aqui índia guarani tem que trabalhá memo, plantá melancia, batata, pra criá família. É. Daí tem que trabaiá na roça e carpi e levá crianca junto pra ajudá. Quando (a mulher) tivé os vinte anos já é idade de casá.