CAPÍTULOS DO LIVRO

Civilização Ocidental Cristã

  • Posted on: 22 October 2018
  • By: claudio

Mas é na civilização ocidental cristã que o processo de parturição se complica, dada a moral sexual, a religião repressora, fazendo do sexo um pecado que deveria ser expiado pelas dores do parto.

Essa civilização teve seus alicerces fundamentados na fusão da Igreja com o Estado, na época de Constantino, que manda destruir a Academia de Platão.

O conhecimento dos gregos é disperso pelo Mediterrâneo e continua traduzido e mantido pelos árabes.

Médico tomando o pulso de um doente. Século XIV. Da coletânea KALILA E DIMMA.

Até a chegada dos cruzados, o confessionário era a válvula de escape. Com o término da última grande Cruzada, em 1204, os cruzados, mistos de sacerdotes e guerreiros, são usados na repressão sexual e religiosa coercitiva, iniciando-se a era dos autos de fé, das torturas das rodas, das fogueiras da inquisição.

Os conhecimentos obstétricos das civilizações antigas são esquecidos. Remédios de fundo supersticioso são ministrados por padres ou freiras.

As sujeiras das cidades, sem esgotos, populosas, faz com que a peste bubônica, em 1350, varra a Europa desde a Sardenha até Islândia. Em 50 anos metade da população morre na epidemia. Os judeus são acusados de serem os causadores da peste.

Peste Bubônica

A Igreja declara a feitiçaria crime excepcional, julgado pela Inquisição. As garantias comuns são suspensas, estimulando-se a confissão por torturas. Nessa época, os médicos, que também eram astrólogos (vide Hipócrates) trabalhavam às escondidas, e só os medíocres mestres-escolas se sujeitavam aos grilhões impostos.

A Igreja no afã de destruir as manifestações culturais anteriores ao cristianismo, resultantes das tradições orais como o calendário agrícola, a coleta de plantas de acordo com os períodos lunares, rotuladas como pagãs, acaba impondo à Europa uma amputação. 

É por volta de 1400 que nasce a figura do médico laico, para atender aos exércitos das nascentes repúblicas italianas, sob a tutela dos banqueiros e comerciantes. Assim trabalhava Leonardo da Vinci, pintor, responsável pelos primeiros estudos de anatomia e inúmeros inventos, usados na máquina de guerra da família Bórgia.

Em 1600, Giordano Bruno é queimado vivo por defender as ideias de Copérnico. Galileu, em 1632, teve sua publicação “Um Diálogo sobre os Dois Principais Sistemas do Mundo” incluída no Index Librorum Proibitorum, onde permanece por mais de duzentos anos. Esse Index é tão extenso que por si só referenciava a obra aí inclusa.

Em 1663, o padre Urbais Grandier, da cidade de Loudim, é acusado de feitiçaria. O Dr. Claude Quillet, um médico da cidade, identifica a fraude no exorcismo público em que o padre foi acusado, e desejava dar seu testemunho diante da comissão da Inquisição, é preso e só se salva fugindo para a Itália. O padre é queimado.

Na Espanha, Isabel de Castela vence os árabes e conquista Granada. Os judeus são expulsos em 1492. Colombo, nesse ano, chega à América.

A Inquisição persiste em Portugal e Espanha, até 1826.

Cabral "descobre" o Brasil. A chegada dos portugueses, e com eles os jesuítas, provoca a destruição dos valores locais.