Analgesia e Aceleração Parto Cócoras com Homeopatia e Quimiopuntura

ANALGESIA E ACELERAÇÃO DO PARTO DE CÓCORAS COM HOMEOPATIA E QUIMIOPUNTURA

O objetivo desta pesquisa é de observar comparativamente a ação dos medicamentos homeopáticos administrados por via oral - e a atuação da acupuntura e quimiopuntura, isto é, pontos correspondentes aos de Weihe (correlatos a remédios homeopáticos) tentando potencializar a ação da terapêutica através da associação de ambas as técnicas, ou seja, a quimiopuntura feita com o medicamento homeopático do respectivo ponto.

A atuação nos pontos escolhidos visa:

a) Aumentar o aporte energético da paciente objetivando-se um trabalho de parto fisiológico, amenizando-se o stress físico e psicológico.

b) Atuar no psiquismo conferindo um estado emocional estável, com uma participação consciente e ativa da gestante no trabalho de parto.

c) Reduzir o tempo de dilatação do colo uterino, diminuindo a sensação subjetiva das dores do parto.

Os medicamentos homeopáticos escolhidos foram Caulophylum e Gelsemium, ambos em dinamização C1.

A escolha da dinamização foi feita de acordo com os ditames da escola francesa, visando uma ação tipicamente organográfica, segundo o tropismo típico de ambos.

Observando-se uma ação rápida e eficaz em curto prazo, enquanto que as altas dinamizações atuariam mais a nível mental, antes de qualquer efeito a nível organotrópico, sendo que a ação seria de efeito retardado; a administração v.o foi feita com 5 gotas de 1 em 1 hora.

Os pontos selecionados para acupuntura foram:

O Yin-trang; 4IG (T), 6BP (S), ambos contra indicados na gestação, podendo provocar o aborto, tendo conduta descrita uma ação efetiva na aceleração do TV P., referidos em todas as bibliografias pesquisadas.

O 30E indicado como ponto de ação genital.

Pontos Auriculares - SHEN-MENN e Útero, com ação similar ao conjunto já descrito, apenas diferindo no fato de que a auriculoterapia tem ação imediata, mas fugas enquanto que os pontos dos meridianos principais têm efeito mais duradouro.

Os pontos de quimiopuntura foram:

15B que tem ação correspondente ao medicamento Gelsemium (pto. de Weihe) que é introduzido no ponto como um "botão anestésico" conferindo primordialmente uma ação mecânica de estimulação do ponto e ao mesmo tempo potencializando sua ação por ser o medicamento que o corresponde.

Alguns autores consultados usaram para a quimiopuntura substâncias tais como xilocaína e complexo B, que desempenham apenas uma ação mecânica, porém ao administrar o medicamento correspondente tentamos aumentar sinergicamente a ação de ambos e prolongar seu efeito.

4VC - É o ponto de Weihe correspondente ao medicamento Hydrastis canadensis, que possui amplas indicações em ginecologia, porém como o ponto de acupuntura possui indicações precisas para o auxílio do Trabalho de Parto.

O ponto de Weihe correspondente ao medicamento Caulophylum está localizado entre os pontos 4 e 5VC. Desta forma, optamos por aplicar um "botão anestésico" um pouco maior que exerça ação mecânica e medicamentosa em ambos os pontos, pois as indicações de Caulophylum são bastante idênticas às do 4VC.

A aplicação das técnicas é feita logo no início do diagnóstico do FRANCO T.P. deixando-se as agulhas aproximadamente 40' a 60' e, se necessário, é repetida a aplicação mais adiante com o mesmo tempo de permanência das agulhas.

A vantagem da quimiopuntura consiste no fato de ser desnecessário deixar agulhas no local por determinado tempo, o que permite livre deambulação. Tem sido provado que a deambulação é uma boa conduta, pois diminui a tensão de espera das futuras mamães, a descida do feto tem também o auxílio da gravidade.

Os medicamentos homeopáticos são produzidos em solução alcoólica, entretanto, injeções subcutâneas desta solução são bastante dolorosas, assim optamos pelo medicamento em solução glicerinada a 50% em água destilada. Foram fabricadas ampolas de 2 ml.

Na pesquisa bibliográfica outros pontos se evidenciaram pela sua indicação afim, tais como: 28VB para contrações uterinas, 3F, 67B etc., são possibilidades a serem estudadas futuramente.

Paralelamente usamos uma fórmula homeopática para os casos de hiperdinamia e hiperestesia. A fórmula consiste na associação em partes iguais de chamomilla 5C, lactura Virosa 3D e Ignatia Amara 5C.

A Lactocina tem ação sedativa e analgésica, a Camomila é indicada na agitação psicomotora e tensão emocional, enquanto que a Ignatia tem ação similar.

Verificou-se efetiva ação na sedação da dor e do stress, tendo também diminuído e regulado as contrações uterinas a níveis fisiológicos, a ação relaxante em algumas pacientes chegou até a produzir-lhes sono, tendo dormido algumas horas em franco trabalho de parto.

Não foi feito equilíbrio geral de acordo com a pulsologia, o que é o ideal, antes da técnica específica, porque desejamos testar a ação precisa desta combinação de pontos por si só, na indicação do trabalho de parto.

As pacientes foram interpeladas, quando chegaram à sala de parto a respeito da aceitação da Terapêutica que visava amenizar e "acelerar" o trabalho de parto.

Obtivemos boa aceitação por parte das gestantes, mesmo sem diálogo prévio sobre o assunto.

Após a aplicação da Quimiopuntura referiram ser perfeitamente suportável a aplicação.

 

MEDICAMENTOS USADOS:

GELSEMIUM SEMPERVIRENS (Jasmim amarelo)

Planta trepadeira do Sul da América do Norte. Pertence às LOGANIACEAE.

Principais ativos: Gelsemina, Gelsemoidina, Escopolamina, Ac gelsêmico, deos voláteis, resinas. Uso alopático: Estimulante do SNC.

Ação geral do Medicamento: Paralisia de nervos, moto emotividade, sintomas congestivos com hiperemia passiva venosa e arterial e ação consecutiva sobre os nervos vasomotores. Hiperemia cerebral, as extremidades podem estar frias, cabeça e coluna quentes. Face congesta, violácea, olhos injetados. Afecções agudas de marcha lenta, cronificada. Fraqueza, prostração, sonolência, torpor, embotamento, hipersensibilidade.

Tipo e constituição: Medicamento de Sist. Nervoso, convém a indivíduos sensíveis, irritáveis e com marcada debilidade geral. Tremores, prostração muscular parece ser consequência da incapacidade dos nervos motores para transmitir o fluxo nervoso voluntário, os músculos parecem não obedecer à vontade, sensação de lassidão e debilidade geral. Pulso débil que se acelera ao menor movimento. Sensação de grande fadiga em todo o corpo, os membros parecem muito pesados acompanhado de nevralgias e espasmos, hipersensibilidade nervosa, brusca agitação e excitação ou emoções violentas.

Estado de excitação emocional. Dores agudas do parto, na região uterina, com irradiação, para os quadris.

É indicado no parto quando há dilatação difícil com rigidez do colo uterino.

Entretanto, só deve ser administrado após o início do trabalho de parto, nunca antes, como preventivo, pois neste caso pode provocar a ruptura precoce da bolsa e retardar o parto.

Dores uterinas espasmódicas, indicação de Gelsemium Cl, Dr. Ludlan refere também ser eficaz no pós-parto, cujas dores também são espasmódicas.

Tremor, medo, desânimo, ansiedade por expectativa e o resto por antecipação.

CAULOPHYLUM THALIDROIDES RAIZ ÍNDIA (ginsão azul)

Família BERBERIDACEAE.

É um remédio da mulher, da atonia uterina, do parto demorado por debilidade do útero, dores curtas, fracas e irregulares importunando sem surtir resultado; também por extrema rigidez do colo uterino; dado com antecedência facilita o parto.

Retenção de placenta ou Loquios demorados por atonia do útero.

Aborto habitual por debilidade uterina. Hemorragia passiva prolongada após o parto. Sensação de tremor interno.

Cólicas uterinas pós-parto, dismenorreia, câimbras uterinas, falsas dores de parto nas últimas semanas. (Dr. Deway).

Dr. Boeland - Caulophylum regula o processo de trabalho de parto na preparação de um parto tranquilo e rápido. Medo, apreensão.

Sensação de útero congesto, tensão e sensação de plenitude. Dores espasmódicas de útero. Dores de trabalho de parto curtas, pequenas e irregulares, espasmódicas sem progresso efetivo.

Caulophylum tomado diariamente nas 2-3 últimas semanas da gestação, como "preventivo", torna o parto rápido e descomplicado, sendo este outro ponto para futuras investigações, a presente pesquisa atuou apenas em pacientes em franco trabalho de parto.

Dr. Hale (em New Remedies), relata que Caulophylum é remédio usado há longo tempo pelos aborígenes americanos "squaw-root", comprovado para o alívio do sofrimento e enfraquecimento das índias no parto.

Possui também ação muscular, nas pequenas articulações, muscular dos órgãos genitais, nervos motores e talvez até das membranas mucosas.

Seu maior enfoque é que Caulophylum causa contrações intermitentes do útero grávido, possivelmente também no útero não grávido nisso diferindo do Ergot que tende a causar contrações persistentes.

Os aborígenes norte-americanos e colonizadores o usavam contra partos dolorosos e demorados, a raiz era mascada antes e durante o parto.

Farrington-Caulophylum é indicado quando há extrema atonia uterina. A dor pode ser severa como nunca, no entanto ineficaz no trabalho expulsivo.

Frequentemente indicado em mulheres nervosas em que a dor parece intolerável. O corpo parece exausto na sua totalidade, quase nem pode falar, pois a voz está enfraquecida.

Indicado contra falsos trabalhos de parto, espasmos e dores uterinas severas que não progridem o trabalho de parto.

Menorragia ou hemorragias pós-parto com fluxo devido à diminuição da tonicidade uterina, que está relaxado e pouco consegue contrair-se.

No período expulsivo as contrações do útero débeis para a expulsão do feto, sendo apenas tormentosas.

 

PONTOS DE ACUPUNTURA

4IG - RO-KOU (Fundo do Vale) - em Tonificação Ponto de Comando do IG. Comando de energia, contraindicado na gestação, adianta o trabalho de parto. Atua causando plenitude energética, fazendo frente ao processo exaustivo do trabalho de parto. Ponto de estimulação da secreção de F.S.H.

6BP - SANN-YIN-TSIAO - em sedação Lo de grupo dos Yin dos M.I. (R-F-BP) Reunião dos 3 Yin. Em sintomas Yin, atua sobre o excesso de Yang, dores de contração internas e externas, excesso em órgãos genitais, intestino e estômago. Estados Yin - crises de superexcitação, crises nervosas, dores violentas, o Yin insuficiente não contrabalança o Yang. Ponto de Passagem BP-E, edema (Sed.), dores espasmódicas. Ponto de estimulação da secreção de L.H.

YIN-TRANG (P.F.M.) - Atua diretamente sobre o córtex cerebral, diminuindo a tensão, estabilizando o psiquismo.

30E- TSRI-TCHRONG (Assalto de Energia) Debilidade geral, esgotamento, parto prolongado, hemorragias pós-parto. Atua sobre órgãos genitais, ponto de viabilidade geral. Problemas de gravidez. Atua na dinâmica uterina, auxilia a placenta a dequitar normalmente. Ponto de Weihe - Juniperus Com.

 

AURICULOTERAPIA

SHEN-MENN - Sedante analgésico, anestésico em diversas operações.

PONTO UTERINO - Regula o parto.

QUIMIOPUNTURA 15B SINN - IU (Assentimento do Coração) Ponto de Weihe - Gelsemium Inquietude, problemas de superexcitação, tremor, espasmos, fadiga (usamos verificar a potencialização da ação de gelsemium por sua indicação na dilatação do colo uterino).

4VC KOANN-IUANN (Origem da Barreira) Ponto de Weihe - Hydrastis can. Aplicação de Caulophylum. Ponto de Alarme do I.D. Reunião dos YIN M.I (R-F-BP)

Todos os vazios, frio, esgotamento, contrações do colo uterino. Esgotamento com êxtase energética na pequena pélvis, vertigens, dores infra-umbilicais. Auxilia a dilatação do colo uterino. Ponto de penetração de energia do colo uterino.

 

TÉCNICA

Os medicamentos homeopáticos foram administrados V.º em fórmula (aa) ou separados - 5 gotas de 1 em 1 hora ou 4 glóbulos no mesmo espaço de tempo.

A acupuntura foi aplicada: 4IG (AU); 6BP(AG) e os demais em aço.

Quimiopuntura: Após a aplicação das agulhas e introdução do medicamento homeopático, aproximadamente 2 ml como "botão anestésico" em solução glicerinada a 50% com água destilada (com os medicamentos em Cl).

 

DISCUSSÃO E CONCLUSÕES

Homeopatia:

Ocorreram casos que vão desde 3h de trabalho de parto em primigesta de 32 anos desde o início da dilatação até os casos inconclusivos em que o tempo de trabalho de parto foi de 10 horas.

Em 3 casos de hiperdinamia o uso da fórmula homeopática com Lactura, Ignatia e Chamomilla ritmou as contrações.

Houve um caso em homeopatia e outro em acupuntura em que as pacientes dormiram cerca de 4 horas em franco trabalho de parto.

Um caso sem resultado que o término do trabalho de parto deu-se com indução de ocitocina.

Conclusão do pessoal que trabalhou com as gotas é que foi bom o resultado.

Acupuntura:

No pré-parto efeito não consistente.

Nos casos do início do trabalho de parto as contrações se efetivam com a introdução das agulhas e diminuem um pouco após sua retirada, porém a repetição da aplicação confere contrações rítmicas e eficientes.

Em 4 casos a acupuntura determinou hiperdinamia que foi regularizada com a fórmula referida anteriormente.

O Apgar dos recém-natos de parto normal foi de 9-10, excetuando um prematuro em paciente com DNG, com fórceps de alívio com Apgar 4-8 em 5 minutos e que havia sido sedada com alopatia devido ao quadro hipertensivo em pleno período expulsivo.

Associação Homeopatia - Acupuntura:

Em 3 casos foram dadas as gotas, não surtindo tanto efeito quanto desejado, foi feita acupuntura então evoluíram em parto normal.

A acupuntura tem indicação nos trabalhos de parto, evidente, com hipodinamia.

Nas pacientes primigestas que evoluíram para cesárea a aplicação das agulhas tinha sido precoce, no entanto, a evolução obstétrica subsequente indicou intervenção cirúrgica como DCP, sofrimento fetal etc., estes casos foram considerados como falha.

O percentual de induções foi de aproximadamente 5% enquanto que o uso nas bibliografias, como normal, é até 15%.

A indução tem o inconveniente de o medicamento ir à circulação fetal.

Não foi necessário o uso de analgésicos ou ansiolíticos nesta série, excetuando o caso de DHG em que a paciente foi sedada.

A ação da homeopatia, administrada frequentemente num crescente enquanto que a acupuntura dá resultados imediatos e efetivos donde se conclui que a associação de ambos em horas precisas do trabalho de parto dá resultados vantajosos.

Como controle foram levantados 40 casos de pacientes no mês anterior e dada a exiguidade da série não houve diferença estatística significativa.

Entretanto cremos que os resultados foram alentadores.

ACUPUNTURA: 12

HOMEOPATIA: 31

ASSOCIAÇÃO: 4

RESULTADOS:

ACUPUNTURA

RESULTADOS

PARTO Nº

CESÁREAS

FÓRCEPS

Primípara

3

3

-

Multípara

6

-

-

HOMEOPATIA

 

 

 

Primípara

16

4

1

Multípara

10

-

-

ASSOCIAÇÃO

 

 

 

Primípara

2

-

-

Multípara

2

-

-

TOTAL

39

7

1

RESULTADOS POR AVALIAÇÃO CLÍNICA

 

BOM

INDETERMINADO

SEM EFEITO

ACUPUNTURA

8

-

1

HOMEOPATIA

22

5

2

ASSOCIAÇÃO

 

 

 

ACUPUNTURA

4

-

-

HOMEOPATIA

1

3

-

TOTAL

35

8

3

COMPLICAÇÕES

CESÁREAS

DEP

4

 

HIPERMAT + SF

1

 

SF

2

FÓRCEPS DE ALÍVIO DHG

1

RETENSÃO DE PLACENTA

1

SANGRAMENTO

1

TOTAL

10

 

BIBLIOGRAFIA

Traité de Medicine Chinoise Dr. A. Chanfrauldt 1964

L'Acupuncture Chinoise George Soulier de worant 1972 Naloire S.A.Edicteur - France

Acupuntura Teoria Y Practica David Sussmann - 1978 - 4a. Ed. Kier - Buenos Aires

The EAR - Gateway to balancing the body A modern Guide to ear acupunture Mario Vexu - Asi Publishers ind. N. York. 1975

Auriculoterapia - Pontos de Comando para a prática de Acupuntura. Chao L.C. 1976 E. Panamericana . Buenos Aires

Parto de Cócoras Dr. Moysés Paciornik 1979 - Ed. Brasiliense

Matéria Medica Homeopatica Lathoud Ed. Albatroz. 1975 - Buenos Aires

The Merck Indz Farmaceutico and Enciclope of Chemistry and drug. Merck e Co. e Corp. 1968

Homeopathic Drug Picture Margareth Tyler - USA

Materia Médic With Repertory W. Boeriche -1981 B. Jain Publishers - New Delhi

Guia de Medicina Homeopatica Nilo Cairo, 1981 Ed. Livraria Teixeira. SP